Parashá Toldot: os 2 caminhos de mudança

Parashá Toldot: os dois caminhos de mudança:

O intrigante e surpreendente Midrash [Tanchuma Toldot] diz que, Avraham não conseguiria sair com vida de sua cidade natal, Ur Casdim, não fosse por meio da intervenção de seu neto, Yaakov. Visto que o rei Nimrod ordenou que Avraham fosse jogado em uma fornalha ardente por causa da rejeição da idolatria por parte de Avraham. Mas, veio Yaakov em seu socorro, como vemos [Ieshaiahu 29:22]:

“Assim disse D’us à casa de Yaakov que redimiu Avraham: Yaakov não se envergonhará, nem o seu rosto ficará pálido”

Mesmo com a autoridade poética da literatura midrashica, Yaakov não poderia, digo, literalmente resgatar seu avô em um incidente ocorrido antes de Yaakov nascer. Em vez disso, nossos Chachamim queriam nos ensinar [através do Midrash] que Avraham foi salvo devido a algum mérito ou qualidade especial que seu neto Yaakov possuía.

É claro que como um bom estudante de Torah você me perguntaria “qual foi essa qualidade?”. O fato é, existem dois caminhos de crescimento espiritual que se pode seguir. Onde por eles conseguiremos elevar as nossas qualidades a níveis superiores em sua essência espiritual.

O primeiro caminho é uma mudança repentina e radical, geralmente o resultado de algum catalisador externo. Um exemplo dessa transformação pode ser encontrado na história de Shaul Hamêlech. Shemuel Hanavi [o profeta] informou a Shaul que ele encontraria um bando de profetas tocando instrumentos musicais. Esse encontro, disse o profeta a Shaul, será um ponto de virada na sua vida [Shemuel Alef 10:6]: “O espirito [Presença] de D’us repousará sobre ti e você profetizará com eles. E você será transformado em uma pessoa diferente”.

O segundo caminho é um crescimento lento de deliberado. Alcançamos essa mudança gradualmente através do nosso próprio trabalho; não requer nenhum estimulo externo, por assim dizer, portanto, é sempre acessível.

Se é assim por que existem dois caminhos diferentes de mudanças disponíveis pra nós? Se O Santo, Bendito Seja, nos forneceu por Sua maravilhosa bondade dois caminhos, então fica muito claro que ambos são importantes e necessários. Devemos nos preparar e avançar o máximo possível por meio de nossos próprios esforços. Depois que atingirmos, com a ajuda de D’us, o nível mais alto que somos capazes de alcançar, podemos então nos beneficiar de uma inspiração dos recessos internos de nossa alma.

Como vemos Avraham foi um revolucionário espiritual, que iniciou uma revolta contra a idolatria de sua geração. Avraham é de fato, o arquétipo da mudança radical. Por outro lado seu neto, Yaakov, nunca sofreu súbitas transformações de personalidade ou de direção. Antes, a Torah o caracteriza como [Bereshit 25:27]: “um homem quieto e erudito, morando em tendas”. O lugar de Yaakov era nas “tendas da Torah”. Ele trabalhou em si mesmo, passo a passo, crescendo através da perseverança e diligência no estudo da Torah.

Agora, podemos voltar a nossa pergunta inicial: como Yaakov resgatou seu avô da fornalha ardente de Nimrod? De que maneira Yaakov “não terá vergonha”? Os Cabalistas explicam que o objetivo da humanidade – ou seja, a razão pela qual a alma é rebaixada neste mundo – é para que possamos nos aperfeiçoar através de nossos próprios esforços. Dessa forma, não precisaremos participar do nehama dekisufa [o pão da vergonha], isto é, não nos beneficiaremos daquilo que não ganhamos, não tivemos sequer mérito para tal. Devemos agradecer pelos presentes que H’shem nos proporciona e usá-los para atingir níveis ainda maiores de crescimento espiritual por meio de nossos próprios esforços, sendo assim não há vergonha em aceitá-los.

Para entender melhor isto podemos fazer uma breve analogia com um pai que deu ao filho uma grande quantia em dinheiro. Se o filho simplesmente vive do dinheiro até terminar, o presente do pai é nehama dekisufa, um constrangimento para o filho, que não reflete crédito nele. Se, no entanto, o filho usa o dinheiro para iniciar um novo negócio, e com seus esforços duplica e triplica o investimento original, o filho certamente agradou o pai e trouxe honra a si mesmo.

Foi exatamente assim que Yaakov “resgatou” seu avô Avraham. Deixando por conta própria o caminho mais natural para Avraham – cuja alma revolucionária exigia mudanças repentinas e drásticas – Foi a característica de mudança gradual de Yaakov que salvou Avraham do destino do martírio. Avraham adotou o caminho da mudança espiritual que seu neto Yaakov exemplificou. Avraham deixou a fornalha e, ao longo dos anos, trabalhou diligentemente para alcançar a elevação espiritual que ele havia abandonado dentro da fornalha de Nimrod.

Por que se preocupar com o caminho gradual? “Yaakov não terá vergonha”. Ao buscar o crescimento gradual , ou seja, através de nossos próprios esforços, as características espirituais da mudança radical não são mais um nehama dekisufa [pão da vergonha], mas um dom honroso que utilizamos ao máximo.

Adaptado de Midbar Shur

Um comentário

  1. Sandra

    A doce luz da sabedoria!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Faça login na sua conta do Torah com você

Ao clicar em “Criar conta”, certifico que tenho 16 anos ou mais e aceito: Política de privacidade e receber novidades e promoções.