Teshuvá: a mitsvá que vem do amor

Arrependimento ocorre quando você “consegue” se desconectar por completo de algo que H’shem diz ser proibido.

 

 

De acordo com a nossa doce Torah, o arrependimento ocorre quando você “consegue” se desconectar por completo de algo que H’shem diz ser proibido.  No momento em que nos arrependemos, muitas das vezes nos sentimentos perdidos, sem saber o que fazer exatamente. Milhares de pensamentos, conectados com nossos sentimentos, se mesclam, um misto de emoções, na qual, bloqueia nossas ações. O que fazer? O que pensar? O que sentir?

Assim como nos ensina o Rabino Eliahu Hasky, quando nós olhamos os exemplos dos Tsadikim do Povo Judeu, nós temos a certeza de que estamos fazendo a coisa certa e o ideal. Teshuvá (Arrependimento) é uma mitzvá positiva, está ligada a súplica. Quem se arrepende jorra doçura e bondade sem medidas! Convido você a experimentar!
De acordo com o Talmud, se a pessoa faz teshuvá motivada por amor (o oposto de arrependimento por medo de castigo), então suas más ações intencionais contadas como dívidas espirituais se tornam méritos espirituais.

Como assim? A resposta bem mais simples do que imaginamos! Quando a pessoa usa seus erros para ver quão longe de Hashem ela está, esse mesmos erros se tornam instrumentos para um efetivo arrependimento, a verdadeira teshuvá. Quando provocado uma observação, auto avaliação e teshuvá, as más ações se tornam méritos.

Uma razão para isso é que podemos aprender muito com um determinado erro, pois, são grandes estímulos para fazermos um esforço, muito mais forte e com intensidade.
O mal instinto não nos deixa pensar e refletir sobre o que é melhor na nossa vida, e principalmente nos permitir se arrepender.

Rebe de Lubavitch diz que “A nossa geração é igual à sonâmbulos, as pessoas andam, as pessoas falam, as até abrem os olhos, mas, elas estão totalmente adormecidas”. Que essa reflexão nos incentive tornar palpável as nossas reflexões. Como você pode conquistar essas maravilhas? Como tornar possível um arrependimento puro e verdadeiro?

Para que possamos ter um ano bom, doce e com plenitude, três caminhos são imprescindíveis:

Teshuva: retornar para o seu interior, auto avaliação, arrependimento verdadeiro.

Tsedaká: apegando-se à Hashem com toda a força da alma e coração (Tefilá) e distribuir de forma justa suas posses.

O seu futuro será garantido com muito sucesso e alegria. Rabino Eliahu Hasky nos acrescenta com preciosas dicas no Projeto Torah com Você:

Remover marcas que impedem a Teshuvá, com estudo de Torá contínuo e constante, agradecer diariamente à Hashem pelos os erros e acertos, discernir o bem do mal, discernir o bom e melhor, do que é o ideal. Resultado precioso! Alma pura e refinada.

Que neste mês de Chodesh Elul, possamos refletir, nos encontrar, nos refinar e tornar especial o nosso encontro com o Rei! Ele está nos campos, de forma sútil e sublime! Indescritível e bem pertinho de mim, de você, de nós. Que possamos através de novas perspectivas, nos atentar a cada detalhe, a cada sentido e cenário.

Agora e sempre possamos nos lembrar: “Eu sou do meu Amado e meu Amado é para mim”. Se você quer saber mais sobre o tema ARREPENDIMENTO, de forma agradável, dinâmica, com muita doçura e de acordo com a visão do Judaísmo puro, ortodoxo e 100% de fonte Kosher, acesse os vídeos:

Playlist Alegria
1/2 videos
1
Psicologia na Torah: arrependimento, remorso e perdão
Psicologia na Torah: arrependimento, remorso e perdão
2
Arrependimento
Arrependimento

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no telegram
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Faça login na sua conta do Torah com você

Ao clicar em “Criar conta”, certifico que tenho 16 anos ou mais e aceito: Política de privacidade e receber novidades e promoções.